VOCÊ GOSTA DE LER?

Leitura é muito mais do que decodificar palavras. É ir muito além! É voar sem destino pelas páginas de um livro.
Devemos observar várias formas de arte, expressas em textos escritos ou não (verbal ou não verbal) e, delas tirar lições, reflexões, ou mesmo divesão. O que não podemos é sairmos indiferentes, pensando: não entendi nada! Ou fingindo ter entendido tudo, sem no entanto, ter compreendido o que o emissor realmente disse.
Muitas mensagens, realmente são de entendimento dúbio, ou seja, dá margens a mais de uma interpretação.
O que não se deve, é não entender nada! Se por acaso isso acontercer, e não é nada depreciativo assumir isso, devemos buscar mais informações e, fazer com que de alguma forma, essa leitura acrescente algo de positivo em nossa vida.

Leia, vá ao cinema, museus, shows, teatros, ouça músicas, mas reflita, pense!
Se não tiver argumentos bem fundamentados, cale-se e vá aprender mais.


"NÃO TENHO UM NOVO CAMINHO. O QUE TENHO É UM NOVO JEITO DE CAMINHAR." (Thiago de Melo)


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

PÁSSAROS FERIDOS


PÁSSAROS FERIDOS narra a saga de uma família, os Clearys. Tudo começa no início do século XX quando Paddy Cleary parte com sua esposa, Fiona, e seus sete filhos, dentre eles Meggie, a única mulher, para viver em uma fabulosa fazenda de propriedade de sua irmã que já estava com idade avançada e, pretendia deixá-la como herança para eles. Esta fazenda estava em uma região muito seca da Austrália, porém era autosustentavel e uma das maiores produtoras de lã. A posse da terra que era certa, deixou de sê-la,  por causa de um novo testamento, da ambição do belo e sedutor padre Ralph de Bricassart, da humildade dos Clearys e do ciúme que Mary Cleary nutria sobre sua sobrinha Meggie. Estes fatores fazem com que a fazenda Drogheda, passe a pertencer à igreja católica. Entre paixões proibidas e tragédias Colleen McCullough produz um texto cheio de tramas envolventes e narrativas elucidativas que conduzem o leitor aos espaços e tempos por ela desejados, lançando mão de uma descrição rica em sons, cores e cheiros. 
Título original – The Thorn birds - editado no Brasil em português pela EDITORA BETRAND BRASIL LTDA  em 2002 com 545 páginas que ainda deixam o gostinho de quero mais. 
 Clovis C. Rocha

Nenhum comentário: